Como os profissionais da área de robótica lidam com a evolução digital

0

Os profissionais da área de robótica criam robôs através das mais recentes tecnologias, e, atualmente, terão de lidar melhor com toda a evolução digital que ocorre a cada instante, sempre com foco em inovações. Criar algo funcional e perfeito se tornou uma exigência neste meio, portanto, os estudos devem ser aprimorados e lutar contra o tempo pode ser algo cansativo.

O que é a evolução digital?

A evolução digital nada mais é do que a modificação do modo de operação tradicional para o meio digital, como ocorreu no ano de 2020 por conta da pandemia de Covid-19, em que empresas tiveram de realizar uma variedade de modificações para conseguirem se adequar e evitar que pessoas saíssem de suas casas, popularizando o home office.

Neste momento, as empresas compreendem o mínimo de como operar através do mundo digital, porém ainda necessitam otimizar tal sistematização para haver melhorias em uma variedade de setores nas empresas.

O mundo digital é uma das áreas que mais necessitam de investimento por parte das empresas, e quanto mais forem otimizadas as ferramentas que ele pode oferecer, melhor será. Haverá um retorno poderoso com relação aos investimentos feitos, e os custos de aquisição dos clientes diminuirão gradualmente.

Profissionais da robótica são seres tecnológicos!

Os profissionais da área de robótica passaram anos para estudar e conhecer mais sobre a ciência que trata de temas associados às construções de robôs, que são simplesmente mecanismos automáticos que usam um circuito em sua composição para realizar determinadas atividades.

Alguns robôs podem reproduzir movimentos semelhantes ao de um ser humano, seja eles mais simples ou complexos. Note que a robótica aparece em muitas áreas, que variam desde a produção de indústrias, a área medicinal e até mesmo no âmbito doméstico.

Quem criou a robótica?

Isaac Asimov criou a obra chamada “O Mentiroso”, uma ficção científica que conceitua melhor sobre essa área, além de ter sido ele quem apresentou as leis da robótica. No entanto, somente na década de 50 o termo realmente se tornou popular, justamente pelo livro “Eu, Robô”.

Este livro conseguiu levantar uma série de questões sobre o ser humano e as máquinas, algo que até hoje é discutido por pessoas da área de tecnologia.

A criação de máquinas (não robóticas) é algo antigo e datado, muito provavelmente, da época da Grécia Antiga e Roma, visto que ambos os povos eram capazes de desenvolverem máquinas distintas, que conseguiam realizar diversos movimentos mais automatizados.

O que seria um robô?

Robôs são simplesmente objetos mecanizados que conduzem determinados trabalhos, e alguns deles até se movimentam como seres humanos, além de possuírem um sistema eletrônico integrado em seu compartimento.

A palavra robô surgiu em uma peça de teatro chamada Robôs Teatrais de Rossum, conduzida por Karel Capek, há mais de 100 anos, porém por mais que fosse uma época antiga e com outros pensamentos, existiam pessoas que acreditavam que os robôs eram símbolos de grandeza e evolução.

Qual a serventia da robótica?

Os profissionais da área de robótica não estão inseridos neste meio à toa, visto que os robôs estão no meio empresarial desde a revolução industrial, onde estes e outros equipamentos eram usados para ser possível aumentar os níveis de produção de todas as empresas.

Muitas pessoas, de fato, pensam que a robótica tem serventia somente para as empresas, porém, isto não é verdade e é possível tê-los para realizar tarefas domésticas, como limpar a casa, a exemplo dos robôs aspiradores, que se tornam cada vez mais populares.

Onde estudar robótica?

Antes de os profissionais da área de robótica serem, de fato, atuantes nesta área, precisam estudar, e para isto, as escolas começaram a oferecer aulas extras de robótica aos alunos. Matérias que antes eram extremamente chatas, como matemática, ciência e português se tornam necessárias, além de os auxiliarem a compreender a importância de conhecer cada informação para se criar um robô.

Com o devido esforço por parte dos alunos, o desempenho nestas matérias será melhor e todos sentirão mais confiança para desenvolver um robô por conta própria.

Primeira Revolução Industrial

Outro termo que os profissionais da área de robótica tiveram de compreender nos anos de estudo, é a Primeira Revolução Industrial, que está ligado diretamente com o desenvolvimento da tecnologia, que se iniciou na Europa e se espalhou por todo o mundo.

Por conta disso, houve modificações nos setores econômicos e sociais desde os anos de 1760, que contavam com um sistema feudal o qual teve sua mudança para o capitalismo, que perdurou até o ano de 1850.

Uma das características principais da Primeira Revolução Industrial, seria por conta dos processos de produção que antes eram realizados por mulheres, crianças e homens artesãos, seja em suas moradias ou pelas oficinas.

Com a chegada da Revolução Industrial, essa categoria de trabalho era conduzida por máquinas dentro das fábricas, o que passou a facilitar a vida dos trabalhadores neste ramo industrial, porque anteriormente eles precisavam realizar etapa por etapa de cada sistema de produção. Entretanto, houve (e ainda há) um extenso debate a respeito da substituição da mão de obra humana pela mecânica.

Quais os princípios da robótica?

Quando Asimov criou seu livro, também idealizou alguns princípios para poder haver a possibilidade de controlar os robôs, de modo que os humanos conseguissem ficar seguros.  São três princípios fundamentais para todos os profissionais da área de robótica, dentre eles pode-se mencionar:

  • 1°: Robôs não devem ferir humanos e tampouco permitir que este sofra qualquer malefício
  • 2°: Os robôs deverão sempre obedecer às ordens dadas por seres humanos, exceto se haver conflitos com a primeira lei
  • 3°: Robôs precisam proteger sua existência, de modo que não conflite com as duas primeiras leis

Estas leis de princípios dão total segurança aos seres humanos, conforme os comportamentos destes “seres tecnológicos”, de modo a evitar que a humanidade desenvolva seu maior nêmesis.

Perigo robótico

Os profissionais da área de robótica devem estar atentos com possíveis perigos, visto que quando Asimov criou seu livro a tecnologia era bem fraca se comparada com os tempos atuais, portanto, não seria má ideia realizar a aplicação das três leis para se proteger.

Robôs dotados de inteligência artificial que conseguem aprender novas coisas poderão ser, de fato, perigosos se não forem programados corretamente.

Como profissionais da robótica lidam com a evolução digital?

Profissionais da área de robótica, devem lidar com as modificações que ocorrem rapidamente em poucos meses, visto que na área de engenharia, computação e automação de indústrias crescem gradualmente para conquistarem seus espaços.

Por conta deste aumento, é necessário que estes engenheiros consigam organizar outros processos, para dessa maneira conseguir otimizar todo o trabalho que será realizado pelos robôs.

Os profissionais da área de robótica não terão mais de se preocupar com determinados trabalhos que costumam ser repetitivos demais, porque os robôs assumirão esses ofícios. Por conta disso, estes profissionais conseguiriam realizar tarefas menos desgastantes e aumentar a eficiência no trabalho.