Dicas de especialistas para minimizar o risco de queda em casa

0

Sofrer uma queda é uma preocupação assustadora para os idosos e aqueles que cuidam deles, e essa preocupação é com razão. As quedas foram a principal causa de lesões entre adultos com 65 anos ou mais em 2019, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

Ao gerenciar fatores de risco pessoais e criar ambientes domésticos seguros, idosos e cuidadores podem reduzir a probabilidade de uma queda debilitante em casa.

Prevenção de quedas: por que é importante

Os resultados negativos de uma queda variam de pequenas contusões e cortes até fraturas e outras lesões que exigem uma visita ao pronto-socorro ou cirurgia com recuperação prolongada, de acordo com Denise Zwahlen, geriatra do Departamento de Medicina de Família e Comunidade da Universidade de Kansas.

Porém, os efeitos psicológicos de uma queda podem ser devastadores. “Se uma pessoa desenvolve um medo significativo de cair, seja excessivamente cauteloso ou realista, isso pode levar ao medo de sair de casa ou até mesmo limitar a caminhada dentro de casa”, diz a Dra. Zwahlen. “Esse medo pode levar ao isolamento social, colocando a pessoa em risco de declínio cognitivo ou depressão”.

A prevenção de quedas em casa depende tanto da mitigação dos fatores de risco médicos pessoais quanto da criação de um espaço de vida seguro que minimize as quedas.

Como minimizar os fatores de risco pessoais para quedas, de acordo com especialistas

Os fatores de risco de quedas podem incluir fatores intrínsecos como disfunções físicas ou mentais, deficiência visual e auditiva e alterações relacionadas à idade, bem como fatores extrínsecos como medicamentos, ambiente e uso inadequado de objetos de auxilio, como bengalas andadores.

Com a ajuda de profissionais de saúde, os idosos e seus cuidadores podem ter um papel ativo na prevenção de quedas, reconhecendo e abordando seus fatores de risco relacionados à saúde.

Fique atento e focado

Manter o foco é essencial na prevenção de quedas de idosos, diz Jessica Kalender-Rich, geriatra e diretora médica do Sistema de Saúde da Universidade do Kansas. “À medida que as pessoas envelhecem, pode ficar mais difícil realizar várias tarefas ao mesmo tempo”, explica ela.

A perda de memória e outros problemas cognitivos também podem aumentar o risco de queda. “Se você pensar bem, andar e ter os reflexos para se endireitar se perder o equilíbrio exigem muitos passos”, diz a Dra. Kalender-Rich.

Dra. Zwahlen sugere que o cuidador de uma pessoa intervenha quando a pessoa estiver confusa ou andando de forma instável. “Fornecer dicas e lembretes ou até mesmo assistência direta pode ajudar a prevenir quedas”, diz ela.

Monitorar medicamentos

Tomar pelo menos quatro medicamentos diferentes (especialmente psicotrópicos, diuréticos ou sedativos) pode ser um fator de risco para quedas. Muitos medicamentos podem contribuir para o risco de queda de uma pessoa, incluindo (mas não limitado a):

  • Anti-histamínicos.
  • Medicamentos prescritos usados ​​​​para tratar a bexiga hiperativa.
  • Medicamentos para tratar ansiedade.
  • Antidepressivos tricíclicos.
  • Medicamentos prescritos para dormir.
  • Narcóticos (opióides).

Tomar determinado medicamento em quantidade excessiva também pode aumentar a probabilidade de quedas, diz a Dra. Zwahlen.

“É importante conversar com seu médico para revisar sua lista de medicamentos e interromper os medicamentos que não são necessários ou usar a menor dose possível deles”, aconselha ela. “Pergunte quais medicamentos podem estar contribuindo para sentir tonturas ou causar possíveis quedas.”

Avaliações regulares com um profissional de saúde

É importante que um idoso visite um consultório médico, assim algumas avaliações regulares podem ser realizadas. Além da avaliação do estado mental e das condições físicas como equilíbrio, resistência, flexibilidade, seus dispositivos de visão e audição também devem ser examinados e avaliados.

Mantenha-se hidratado e mantenha uma dieta equilibrada

Dra. Zwahlen adverte que a desidratação pode aumentar o risco de queda, potencialmente causando pressão arterial baixa, além de tontura e perda de equilíbrio.

Além disso, nutrientes específicos incluídos em uma dieta equilibrada podem ser benéficos na prevenção de quedas, diz ela. Por exemplo, a vitamina B12 preserva a sensação nos pés, bem como protege a função cognitiva. Essa proteína de alta qualidade ajuda a manter a massa muscular e a saúde geral.

Um estudo descobriu que a vitamina D, além de seus benefícios de fortalecimento ósseo, também pode desempenhar um papel na minimização de quedas em idosos.

Mantenha-se fisicamente ativo

“O exercício é realmente importante para melhorar o equilíbrio”, diz a Dra. Kalender-Rich. “O melhor tipo de exercício é o de resistência que se concentra na parte superior das pernas, quadris e força do núcleo.” Ela recomenda o tai chi (que estudos sugerem que pode ajudar a melhorar o equilíbrio), hidroginástica, ioga na cadeira e exercícios de força com pesos.

Dra. Zwahlen concorda dizendo: “Apenas certifique-se de escolher uma aula ou participar de uma atividade em um nível que seja seguro para você”.

Dicas de modificação em casa apoiadas por especialistas para minimizar o risco de queda

Fritzi Gros-Daillon, diretora de educação e advocacia da Age Safe America, fornece orientação para manter os idosos seguros em suas casas. “As estatísticas mostram que escadas e salas de estar são os locais mais comuns para quedas”, diz ela. “Além disso, quase 250.000 pessoas caem anualmente no banheiro.”

Considere os seguintes ajustes domésticos para minimizar esses riscos.

Remova ou prenda os tapetes

Gros-Daillon recomenda proteger os cantos dos tapetes ou removê-los completamente para eliminar o risco comum de tropeçar ou escorregar. Tapetes de porta e tapetes de banheiro devem ter borrachas ou outro suporte antiderrapante.

Instale barras de apoio no banheiro

Barras de apoio ou barras de segurança na área da banheira e do chuveiro proporcionam segurança extra. Gros-Daillon diz que muitos acessórios, como porta-papel higiênico, saboneteiras e barras de toalha, agora são projetados com barras de segurança para integrar segurança ao design do banheiro.

Corredores e caminhos bem iluminados

“Uma boa iluminação em todos os caminhos reduz o risco de quedas dentro e fora de casa”, diz Gros-Daillon. Ela recomenda avaliar as rotas percorridas na casa (porta da frente para cozinha ou sala, banheiro para quarto, áreas de estar para dormir, etc.) para revelar os cantos mais escuros. Adicionar luz a essas áreas pode evitar quedas, mantendo você ou seu ente querido seguro à noite.

Cuidado com as escadas

Subir escadas é a causa de muitas quedas e lesões entre os idosos. Adicionar corrimãos ou fixar corrimãos existentes pode aumentar a segurança nas escadas, diz Gros-Daillon.

Para aqueles com dificuldades de mobilidade, a Dra. Zwahlen recomenda evitar escadas sempre que possível. Considere adicionar um elevador de escadas em casa ou uma rampa para cadeiras de rodas para evitar quedas.

Crie espaço suficiente para se locomover em sua casa

Se um idoso estiver usando um andador ou cadeira de rodas em casa, é importante organizar os móveis de modo que haja espaço suficiente entre cada móvel para que eles possam se locomover com segurança e eficácia.

O que fazer quando ocorre uma queda

Se você cair e estiver sozinho em casa: “Sente-se brevemente e observe quais lesões você pode ter sofrido”, aconselha a Dra. Zwahlen. “Se você se sentir seguro, vá em frente e levante-se, depois reavalie as lesões nas próximas horas. “Se você bater um pouco a cabeça ou achar que desmaiou, procure atendimento médico. Ligue para o consultório do seu médico ou vá para a sala de emergência. Se você não conseguir se levantar, peça ajuda”, diz ela.

Se você for um cuidador e presenciar uma queda, a Dra. Zwahlen recomenda perguntar à pessoa quais áreas estão doendo e, em seguida, procurar sinais de traumatismo craniano ou fratura. Se houver um sinal de fratura, lesão grave, dor no pescoço ou dificuldade para mover qualquer parte do corpo, ligue para o 192 e traga um cobertor para manter a pessoa aquecida enquanto espera. Se nenhum desses sintomas estiver presente, tente ajudar a pessoa a se levantar e peça ajuda, se necessário.

Quando procurar um médico

“Seu médico pode ajudar realizando um exame físico detalhado e revisão de seus medicamentos e condições crônicas”, diz a Dra. Zwahlen. “Eles também podem traçar um plano para nutrição e exercícios seguros, bem como quaisquer referências que sejam necessárias.”

Enquanto isso, especialistas em envelhecimento como Gros-Daillon fornecem regularmente recursos para manter os idosos saudáveis ​​e seguros. “Podemos obter uma avaliação de segurança doméstica e agir de acordo com as recomendações”, diz ela. “Mudanças simples podem salvar uma pessoa de ferimentos e perda de independência.”