Carrefour Porto Alegre: Protesto Agora Ao Vivo

0

Após o assassinato de João Freitas no Carrefour de Porto Alegre, manifestantes ateiam fogo no Carrefour de Porto Alegre – RS . João Freitas foi espancado e assassinado por dois seguranças na noite de ontem (19), véspera do Dia da Consciência Negra.

Manifestantes protestaram, na noite desta sexta-feira, em frente ao Carrefour da zona Norte de Porto Alegre pedindo justiça pela morte de João Alberto Silveira, um homem negro que foi espancado por dois seguranças do local no estacionamento do supermercado. O caso, que ocorreu na noite de quinta-feira, está sendo investigado pela Polícia Civil e os dois envolvidos tiveram prisões preventivas decretadas na noite de hoje. 

Acompanhe o vídeo do protesto na frente do Supermercado Carrefour hoje a tarde em Porto Alegre – RS.

Acompanhe agora protesto ao vivo nesse link: https://www.facebook.com/alassderivas/videos/3422686714447537

Transmissão do Protesto no Carrefour agora as 20:15 da noite

Agora 20:19 acabou a bateria Alas Derivas – a qualquer momento ele voltará com a transmissão acompanhe https://www.facebook.com/alassderivas

O que diz o Carrefour

“O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente. Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais.”

O que diz a Brigada Militar

“Imediatamente após ter sido acionada para atendimento de ocorrência em supermercado da Capital, a Brigada Militar foi ao local e prendeu todos os envolvidos, inclusive o PM temporário, cuja conduta fora do horário de trabalho será avaliada com todos os rigores da lei. Cabe destacar ainda que o PM Temporário não estava em serviço policial, uma vez que suas atribuições são restritas, conforme a legislação, à execução de serviços internos, atividades administrativas e video monitoramento, e, ainda, mediante convênio ou instrumento congênere, guarda externa de estabelecimentos penais e de prédios públicos. A Brigada Militar, como instituição dedicada à proteção e à segurança de toda a sociedade, reafirma seu compromisso com a defesa dos direitos e garantias fundamentais, e seu total repúdio a quaisquer atos de violência, discriminação e racismo, intoleráveis e incompatíveis com a doutrina, missão e valores que a Instituição pratica e exige de seus profissionais em tempo integral.”