Saúde apresenta calendário de vacinação para crianças expostas e pessoas com HIV

0

Porto Alegre

O novo calendário vacinal para pessoas com HIV foi apresentado na manhã desta terça-feira, 1º, em live da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). A iniciativa integra a programação pelo Dia Mundial de Luta contra a Aids. O calendário é dirigido a todas as faixas etárias. Além dos 19 imunobiológicos do calendário básico de vacinação, crianças expostas ao vírus e pessoas vivendo com a doença dispõem de quatro imunobiológicos especiais, com indicações e contraindicações específicas.

As vacinas estarão disponíveis na rede municipal até segunda-feira, 7, de acordo com o cronograma de entrega dos imunobiológicos à Secretaria de Saúde.

Durante a live, a enfermeira Bianca Ledur mostrou os indicadores de Porto Alegre, que em 2018 ficou como terceira capital com maior taxa de detecção de Aids, a capital com maior taxa de detecção de HIV em gestantes e a capital com o maior coeficiente de mortalidade pela doença. O boletim epidemiológico com os dados nacionais referentes à HIV/Aids em 2019 deve ser divulgado pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira.

De 2017 a 2019, o número de casos de HIV foi maior que o número de casos de Aids, demonstrando que foram diagnosticadas mais pessoas no início da doença do que em estágio mais avançado. A taxa de detecção vem caindo gradativamente nas três esferas de governo. Em Porto Alegre, observou-se, pelo terceiro ano consecutivo, que houve maior taxa de detecção de HIV do que de Aids, refletindo o trabalho dos serviços de saúde.

“A diminuição do número de casos resulta de anos de trabalho em todas as esferas administrativas, consolidando estratégias de prevenção e testagem rápida e, nos casos de Aids, na melhoria dos esquemas de terapia antirretroviral, com melhor estruturação dos serviços especializados”, avalia Bianca. Os testes rápidos estão disponíveis em todas as unidades de saúde e são a ferramenta mais efetiva de diagnóstico, conforme a enfermeira.

O enfermeiro Augusto Crippa mostrou o novo calendário, enfatizando que pessoas com HIV podem ser mais suscetíveis a alguns agentes infecciosos totalmente preveníveis com a vacinação. “Prevenção, diagnóstico precoce e tratamento são questões essenciais no combate à Aids”, afirma.

Conforme o médico Juarez Cunha, a informação é fundamental para orientar esse público. Em função disso, foi realizada capacitação junto à rede municipal de saúde para apresentar o calendário.

HIV/Aids – Dados retirados do Relatório Anual de Gestão 2019:

Em 2019, foram 1.290 novos casos em Porto Alegre, dos quais 611 casos de Aids e 679 de HIV, conforme o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN NET-RAG). Dos casos de Aids, a faixa etária mais acometida é entre os 35-44 anos e, nos casos de HIV, dos 25-34 anos. Tanto nos casos de Aids como de HIV, há mais notificações entre os homens, mas há redução na diferença a cada ano.

Taxa de detecção:

– Aids 2018 45,8 / 2019 43,3

– HIV 2018 46,7 / 2019 48,1

Porto Alegre possui o Comitê de Mortalidade por Aids e o Comitê de Prevenção da Transmissão Vertical do HIV, onde representantes de serviços de saúde da cidade se reúnem para discutir casos e melhorar a assistência e os fluxos de cuidado e atendimento.

Fonte: Prefeitura Municipal de Porto Alegre
Texto, edição e imagens: Equipe Prefeitura Municipal de Porto Alegre