‘Ele gritava que não conseguia respirar’, diz amigo de negro morto em supermercado de Porto Alegre

0

 João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi morto após ser espancado covardemente por dois seguranças de um supermercado.

A rede de supermercados conhecida nacionalmente também já teve o nome envolvido em outros escândalos.

O caso teve enorme repercussão, famosos e internautas se mostraram indignados e propuseram boicote à empresa. O fato tornou-se ainda mais chocante por ter ocorrido na véspera do dia da consciência negra.

joao alberto silveira freitas e a esposa milena borges alves e ele foi espancado em uma loja do carrefour em porto alegre e morreu
Imagem: Arquivo pessoal

A perícia indicou a casa da morte como sendo por asfixia. Revoltado, o amigo de João comentou o ocorrido.

Além de agredirem ele, deram um mata-leão nele, asfixiaram ele, pessoal pedindo para largarem ele, para deixar ele pra respirar, porque ele gritava que não conseguia respirar, eles não largaram, quando largaram ele já estava roxo, já estava sem respirar”, diz Paulão Paquetá, amigo da vítima.

A investigação está tratado o caso como um homicídio qualificado. Segundo relatos da esposa da vítima, o casal foi até à loja fazer compras, no entanto, em determinado momento João fez um gesto para os seguranças.

Após o gesto os seguranças levaram a vítima rapidamente para fora do estabelecimento, onde cometeram o ato criminoso. O espancamento levou o homem à morte ainda no local.

Os dois suspeitos já estão em guarda da polícia, um segurança é policial militar e está em um presídio militar, o outro está em um prédio da polícia civil.