As críticas de Alfredo Cahe, ex-médico de Diego Maradona: “Não era lógico que ele recebesse alta”

0

Alfredo Cahe, ex-médico pessoal de Diego Maradona, criticou o tratamento dado a Diego após a operação para um hematoma subdural. “Não era lógico que ele teve alta, ele deveria ter sido internado em um local com infraestrutura adequada”, disse o especialista, após a morte de Maradona.

“Sinto uma dor profunda. Mais do que profunda, a dor é um estado de choque por um motivo simples: depois de tantas saídas que fizemos com Diego em 33 anos e em tantos altos e baixos, Diego acaba de morrer de uma forma inusitada”, Cahe começou.

A seguir elaborou: “Não me pareceu lógico quando teve alta. Diego deveria ter ficado internado, com outra infraestrutura. Como quando o levamos para Cuba, que todos protestaram, mas lá as coisas foram muito bem feitas.”

16063540106667

Além disso, Cahe questionou a ausência de médico em casa no momento da morte do ex-jogador e lançou dúvidas sobre a conveniência da intervenção cirúrgica a que Maradona foi submetido.

“Eu não diria um médico que estivesse por perto, mas teria que ficar permanentemente em seu quarto”, disse ele ao “Telefé Notícias”. E continuou: “Na situação em que se encontrava, havia dois aspectos importantes: um, que a operação era lógica ou não lógica; segundo, o check-up cardiovascular não foi realmente feito de forma completa. Diego não foi bem cuidado.

“Ele estava muito triste. O psicólogo dele me disse que ele estava profundamente deprimido. Uma mulher próxima de Diego me disse que ele havia dito a ela que estava profundamente angustiado, deprimido e que já havia feito tudo na vida. Aquela expressão, que ele tinha fez tudo na vida dele, eu não gostei. “