Jogar videogame pode ser positivo para a saúde mental, diz estudo

0

Não é de hoje que os videogames são acusados de “acabar” com a saúde mental das pessoas. Em geral, as pessoas costumam relacionar problemas de estresse e baixa socialização ao hábito de jogar games.

Muito comum ainda hoje, essas acusações são frequentes e muitas vezes levadas em consideração pelos pais antes de presentear os filhos com aparelhos eletrônicos.

Contudo, apesar das acusações e de até estudos anteriores comprovarem que há malefícios no excesso de tempo gasto em jogos e games, um estudo da Universidade de Oxford concluiu que jogos como “Plants vs Zombie” (Eletronic Arts) e da Nitendo, o “Animal Crossing”  trazem benefícios que causam bem-estar.

(Westend61/Getty Images)
(Westend61/Getty Images)

Vale ressaltar que desde 2018 o vício causado pelo excesso de videogame é tido como uma doença psicológica pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esse estudo recente alegando bem-estar pegou muita gente de surpresa, principalmente os pais de crianças menores.

“Ao contrário dos temores generalizados de que muito tempo gasto jogando videogame pode gerar vício e prejudique a saúde mental, encontramos uma pequena correlação entre jogos e bem-estar”, explicou um dos autores da pesquisa desenvolvida em Oxford.

Foto: Pexels

Ainda segundo um dos autores, a conclusão é que a pesquisa demonstrou que os jogos podem ser uma das opções com resultados satisfatórios em comparação ao contexto que estamos vivenciando, de pandemia e isolamento social.

Para Matti Vuorre, o jogo de videogame trouxe sintomas positivos em meio a um momento em que não é possível ter encontros frente a frente, os resultados são mais direcionados aos games que são jogados online, muitas das vezes em grupos ou dupla.