Recorde: Desemprego afeta 14,1 milhões de pessoas e atinge o maior nível desde 2012

0

Segundo informações coletadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o número de desempregados no Brasil bateu um novo recorde, chegando a 14,1 milhões de pessoas. É o maior número desde o ano de 2012.

No terceiro trimestre deste ano a taxa de pessoas desocupadas chegou ao espantoso número de 14,6%. Ou seja, subiu 1,3 pontos com relação ao trimestre anterior que era de 13,3%. Um aumento considerável que preocupa os especialistas.

Para se ter uma ideia, mais de um milhão de pessoas entraram para a fila de desempregados apenas nos últimos três meses. Somando-se ao número de pessoas que já vinham nesta fila, o número chegou a 14,1 milhões de pessoas sem emprego.

O que intriga muita gente é que esses dados foram divulgados nesta sexta feira (27), um dia após o Ministério da Economia divulgar que foram criadas 394 mil novas vagas de trabalho no país. Ainda que esse número seja real, não é nem metade do número de pessoas que estão à procura de uma vaga de emprego.

Não foi apenas a taxa de desemprego que aumentou, outra alta foi vista na taxa de informalidade. Mais de 38% dos trabalhadores, mais de 31 milhões de pessoas, passaram a garantir sua receita através de empregos informais. Ou seja, são milhões de brasileiros sem quaisquer garantias em caso de perda do trabalho, são pessoas que trabalham para garantir alimentação e manutenção de cada dia.

Esses dados são, sem dúvida, resultado das ações tomadas para conter o avanço da pandemia em nosso país. A doença, porém, continua avançando e a tendência é de que uma nova onda mate ainda mais pessoas do que na primeira se não houver uma ação efetiva para combate e prevenção da contaminação.